É samba Novo! Relançamento em Vinil de Edison Machado.

Para falar sobre relançamento em Vinil, da obra em sim, precisamos falar do criador: Edison Machado, antes de se tornar músico profissional e ser um dos melhores bateristas brasileiros, foi cabo do exército. Alguns dizem que ele toca como se estivesse em guerra, pois é uma verdadeira metralhadora giratória, trucidando seu instrumento, porém, sem soar agressivo, já que possibilita um verdadeiro deleite aos seus ouvintes!

Na década de 50 Edison fazia seu som ao lado dos músicos mais importantes do país, em bares do Beco das Garrafas, em Copacabana. E já no início da década de 60 passou a integrar o trio de samba-jazz Bossa Três ao lado dos músicos Luis Carlos Vinhas (piano) e Tião Netto (baixo). Juntos gravaram três discos e passaram uma bela temporada nos Estados Unidos.

Em 64 Machado lançou seu primeiro álbum solo. É Samba Novo. Esse disco é tido como o melhor, ou um dos melhores, dentro do samba-jazz. E é essa joia estampada por Edison Machado em sua melhor atuação, tocando bateria, que foi recentemente relançada em Vinil. Um disco tão raro quanto importante, e que agora tem a chance de integrar sua coleção!

Machado é também conhecido por ser inventor do “samba no prato”. Entenda: Uma certa vez, durante um show, uma caixa da bateria de Edison furou, mas a música não podia parar. O músico continuou a tocar a noite toda, usando somente os pratos e os tambores. Nascia um novo estilo! Isso acontece no final dos anos 40.

É Samba Novo – Edison Machado

edson machado lpEsse LP é composto por 11 faixas, e contam com arranjos de Moacyr Santos, J.T. Meirelles e Paulo Moura, e são simplesmente incríveis! Mas o disco não conta apenas com Edison, outras feras da música estão no time, como Maciel e Raul de Souza nos trombones, Pedro Paulo no trompete, Tenório Jr. no piano e Tião Netto no baixo.
Edison Machado foi parceiro de nomes como Sérgio Mendes, Dom Salvador e Sérgio Barroso. Nos anos 70, nos Estados Unidos, gravou seu segundo disco solo Obras ao lado do quarteto Edison Machado Quartet. O músico retornou ao Brasil em 90, mesmo ano de seu falecimento.

Sua obra é imortal e inesquecível. Se você se interessou, clique aqui!

Comente aqui