BNegão & Seletores de Frequência Lançam o Álbum TransmutAção em Vinil!

Já está na pré-venda o Lp com tiragem limitada em 800 cópias, não deixe de garantir o seu!

O terceiro disco da carreira do BNegão & Seletores de Frequência, patrocinado pela Natura Musical, vem cheio de capa_alta_bnegao_transmutacao lp vinilforça na retórica e apresenta o resultado de novas alquimias sonoras do grupo. Agora, TransmutAção, ganha sua tiragem em vinil (180 gramas), em parceria com o selo pernambucano, Assustado Discos, especializado em lançamentos no formato. O LP tem tiragem limitada em 800 cópias. (Compre aqui)

Àgò, a palavra que abre o álbum e dá nome à primeira faixa de TransmutAção, pede permissão e licença para passar, ao som dos tambores de Alexandre Garnizé. “Dias da Serpente”, um dub turbinado pela percussão de terreiro anuncia: “dias luminosos virão, dias trevosos estão”. Prepare-se para a descarga sonora que está por vir.

Chegou o momento em que BNegão & Seletores de Frequência disparam suas novas visões e sonoridades em mais um capítulo da sua história dentro da música negra universal. O crossover de funk com rap (característica intrínseca ao trabalho de BNegão & Seletores de Frequência) está em “No Momento (100%)” e em “Mundo Tela”, os candidatos a hit deste trabalho.

Leia também: Raridades em Vinil São Relançadas Pela Sony Music. Imperdíveis!

A combinação inédita do surf rock com referências ao gênio etíope Mulatu Astatke – pai do ethio jazz e um dos maiores músicos mundiais em atividade – se chama “Surfin’ Astatke” (autoria do trompetista Pedro Selector) e faz uma passagem instrumental para as duas faixas de samba que seguem: o samba-jazz “No Amanhecer” e uma versão gafieira-fumegante de “Fita Amarela”, de Noel Rosa.

E as surpresas não param por aí. BNegão (com o auxílio do produtor Maga Bo) trouxe beats inusitados do futuro e os juntou aos ritmos e melodias ancestrais da ciranda em “No Ar”, onde a levada convida para dançar e fazer a energia circular. “Giratória” é o último petardo deste baile antes da faixa que encerra o álbum: “Nós (Ponto de Mutação)”, um dub que chama para a despressurização da mente e homenageia algumas das maiores influências (filosóficas, musicais e espirituais) do rapper, como Darcy Ribeiro, Tom Zé e Professor Hermógenes.

 

banners rap-03

Comente aqui